maio 25, 2010

Poética



De manhã escureço
De dia tardo
De tarde anoiteço
De noite ardo.

A oeste a morte
Contra quem vivo
Do sul cativo
O este é meu norte.

Outros que contem
Passo por passo:
Eu morro ontem

Nasço amanhã
Ando onde há espaço:
– Meu tempo é quando.

2 comentários:

Sebastião disse...

é lindo esse poema. sobre tempo e quando. Mas o que estou ligado mesmo é nesse radim de jazzii que vc colocou aqui. Bju com café! :)

Anônimo disse...

lindu, lindu, é diquem?
so pra continuar no estilo do Seb
beijo
bia